Aprende a sentir-te a ti e ao outro a partir do coração.

A prática de Yoga é um recurso para criar relacionamentos abertos, autênticos, profundamente íntimos e sustentáveis.

Bem, vamos começar!

A verdade é que o Yoga não faz propriamente milagres. Mas, a prática regular de Yoga ajuda-te a encontrares o (teu) caminho de volta a casa. Porque obriga-te a parares. Obriga-te a calar a voz do teu ego. Ele (o teu ego) fala, fala, fala, mas sabes que mais? Não te diz muito (ou talvez diga se perceberes nas entrelinhas). Mais tarde ou mais cedo ele vai acabar por ouvir o silêncio. E pode não ser já amanhã. Pode ser depois…e depois. 

Então de que forma a prática de Yoga ajuda nas relações? É simples.  Ajuda primeiramente na relação contigo próprio. E quando tens uma relação saudável com o teu interior, consequentemente tens com o Mundo que te rodeia. Começas a escutar e a perceber o sentido de palavras como compaixão, respeito, entre-ajuda, equilíbrio e pausa para respirar (antes de agir). E estas relações são diárias e com todo o Universo: com o teu parceiro/a, com a tua cria e até com o teu animalzinho de casa.

Neste sentido, esta prática ancestral dá-te uma mãozinha no teu processo de cura. E a cura vem de dentro. A conexão aprofundada e a intimidade contigo próprio criam um relacionamento mais próximo com os outros e uma maior possibilidade de encontro. Quando te tornas o teu próprio curador, encontras apoio e tens uma prática espiritual, como yoga e meditação, ficas capacitado a percorrer o caminho de volta ao teu todo. Tornaste parceiro no caminho da autodescoberta. E se não estás no caminho de curar as tuas feridas da infância, carregas uma forte carga emocional que será expressada num comportamento reativo consequente das tuas emoções reprimidas, em projeções, e na falta de consciência de quem realmente és. Tudo isto pode ser determinante para a longevidade de uma relação sagrada de amor. O outro não é o culpado da bagagem de feridas que já trazes do passado (um passado que ele nem existiu na tua vida), ele só te mostra que ainda a tens e que a precisas de trabalhar e curar.

A maior área de transformação e de auto-crescimento está no espelho dos relacionamentos íntimos. É aqui que o “eu das sombras” surge da forma mais inoportuna e ao mesmo tempo espetacular. Quando vês no outro algo que em ti tens de trabalhar (uma ferida tua que ficou em banho maria), o fundo sombrio e conspurcado do poço começa a aparecer no teu subconsciente e vem até à superfície ter contigo e desafiar-te. Esta forma de desafio pode surgir  de várias maneiras.

É aqui que a “batalha” começa e que muitos relacionamentos terminam. Um ou ambos os parceiros nem sempre têm a capacidade de estar presentes com as feridas que estão a ser projetadas. E é preciso ter consciência do porquê delas surgirem e que mensagem estão a enviar. 

E de repente conheces o Mundo “mágico” da prática de Yoga. Da mesma forma que percebes que não é possível te dividires e separares durante a prática de Yoga e meditação – és um todo, és união entre corpo-mente-espírito -, percebes também que o abandono, a solidão, o isolamento e o sentimento de separação, que podem atrapalhar o teu relacionamento íntimo, começam a ser destruídos. Ao praticar Yoga, inícias um caminho de amor-próprio, de auto-aceitação, de auto-consciência, de sensibilidade para as tuas emoções e limites e de união dos teus corpos. Assim, quando estás consciente de quem realmente és e do que queres, quando te aceitas, amas e responsabilizas, então estás pronto para entrar num relacionamento equilibrado e saudável com o outro. Acrescento ainda que isto não te livra de desafios e “desconcordâncias” entre casal, mas a tua postura e maturidade perante elas é diferente. Quando há amor verdadeiro, há entrega, confiança e vontade de ir em frente e melhorar; e a prática de Yoga relembra-te disto. Coloca-te de volta ao teu centro. 

Eu aprendi várias vezes na minha vida: até que tu faças o teu próprio ato, tu não estás pronto para o Grande Amor. Tu está pronto para um desses relacionamentos co-dependentes, nos quais tu precisas desesperadamente de um parceiro.

Bruce Lipton

Está comprovado cientificamente que a prática de Yoga:

  • reduz o stress;
  • apoia o tratamento da depressão;
  • acalma o SNC (sistema nervoso central);
  • pode curar o stress pós-traumático;
  • melhora a saúde e o bem-estar geral;
  • aumenta a energia;
  • melhora o humor;
  • aumenta a auto-estima e amor-próprio;
  • melhora a qualidade do sono;
  • melhora a vida sexual;
  • aumenta o desejo de fazer mais e melhor pelo Mundo.

Esta atenção plena e auto-desenvolvimento que cultivas por ti próprio pode ser facilmente aplicada ao teu relacionamento. Tens mais energia, gostas mais de ti, sentes-te mais sexy, tens mais prazer pela vida, dormes melhor, alimentas-te melhor. Olhas para ti. Olhas mesmo para ti. E quando te vês na tua essência, consequentemente começas a ver a essência do outro…e reparas que são iguais. São realmente iguais. Dois seres humanos em crescimento que têm um caminho. E esse caminho pode cruzar-se. E podem crescer juntos ao longo do tempo.

Diana Alstad disse um dia: um casal que cresce pessoalmente e junto ao longo do tempo, sintetizando diferenças, pode ser um microcosmo da evolução … O desafio é como trazer crescimento e evolução para relacionamentos de longo prazo, onde hábitos, padrões de poder e ressentimentos geralmente se acumulam ao longo do tempo. A paixão prospera com novidade, abertura e crescimento. De fato, a comunicação aberta pode trazer um encontro de mentes – um dos grandes afrodisíacos desconhecidos.

O relacionamento autêntico, embora seja um caminho desafiador, produz um grande crescimento espiritual. Assim como as arestas rochosas da tua personalidade, os relacionamentos são suavizados pelas ondas incansáveis ​​da descoberta da auto-cura. Mas esta “escavação” da tua alma, nem sempre é um processo fácil, talvez uma disposição mais realista e aberta para realizar o trabalho necessário para um relacionamento profundo e amoroso garanta uma melhor taxa de sucesso. 

Se tu realmente queres ver o amor do lado espiritual, podes fazer do teu relacionamento o teu Yoga, mas é o Yoga mais difícil que tu farás.

Ram Dass

Finalizo dando ênfase, mais uma vez, à ideia que, felizmente, o Yoga está a ser, cada vez mais, visto como um “medicamento” para o corpo, mente e alma. Então, ao trazeres a tua prática de Yoga para o teu relacionamento e partilhares a sabedoria com o teu parceiro, podes (apesar dos desafios envolvidos) promover uma linda e harmoniosa conexão ao longo da vida e um Amor que aguenta a vossa jornada de vida.

Curiosidade:

Com esta filosofia tive o prazer de inspirar 3 amigas a tomarem consciência das suas relações...e ainda melhor do que isso: sou a prova viva de que esta prática de equilíbrio pode mesmo auxiliar na recuperação de um relacionamento saudável. E vivo em Amor. Não só Amor ao outro mas amor a mim mesma, que é onde começa o caminho.

Com Amor,

Carina

2 Comentários

    • Tânia

    Gostei muito 😊

    20 de Novembro, 2019
      • Carina Palma

      Grata minha querida Tânia. Foi feito de ❤

      21 de Novembro, 2019

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Coloca o teu nome e o teu email para receberes o meu ebook grátis "Best of Robin Sharma"
Carina