O puerpério, também designado por período pós-parto, ou ainda quarto trimestre da gravidez, corresponde ao período de tempo que decorre desde a expulsão da placenta (dequitadura) até os órgãos reprodutores da mulher retomarem as características anteriores à gravidez. Esta readaptação demora aproximadamente 6 a 8 semanas, oscilando de acordo com o organismo de cada mulher, com a evolução da gravidez, do trabalho de parto e tipo de parto, mas também do acompanhamento realizado pelos profissionais de saúde. No entanto, o tempo poderá ser a variável menos importante na recuperação da mulher, tendo em conta que a recuperação será feita de forma progressiva e única para cada mulher, dependo dos diversos fatores.

 

Antes de mais, é importante salientar que cada mulher é diferente, assim como cada gravidez é diferente e ainda, cada casal é diferente. Então, não existem um tempo rígido e dado com “o certo”. Avaliando os fatores internos e externos, o tempo indicado é aquele que faz sentido para cada mulher/casal. Havendo comunicação, respeito e compreensão mútuos.

 

O coito só é uma união no verdadeiro sentido, quando há uma harmonia psíquica aliada a harmonia física; a sexualidade vai muito para além do coito puro e simples, ela possui um carácter muito mais abrangente. A sexualidade é então muito mais do que o ato sexual em si. É intimidade. É carinho e afeto. É prazer na vida.

 

A qualidade, quantidade e características da actividade sexual deve ser considerada sadia, quando satisfaz quem nela participa. Deve ser objecto de atenção terapêutica, quando proporciona insatisfação, sofrimento e frustração, no momento do ato sexual, antes ou depois, tornando os envolvidos infelizes.

 

Então, deixo 10 dicas para uma vida sexual sem complicações após o parto:

 

  1. SEM CULPAS – É normal estares mais vulnerável e apreensiva. É também normal estares mais cansada. É uma grande adaptação para os dois!
  2. IR COM CALMA E SEM DRAMAS – Nem todas as mulheres estão prontas, e dependendo do parto e intervenções, há um tempo a respeitar. Encontrem alternativas e tornem os dramas mais leves, e riam com eles.
  3. RECONHECER OS MEDOS – Mais uma vez, é importante reconhecer os medos sem julgamentos. Mas não apenas os da mulher, mas também as do parceiro.
  4. DIÁLOGO – A comunicação e escuta activa sobre as inseguranças e medos acerca deste tema é extremamente importante. Os problemas de muitas casais surgem precisamente pela falta de comunicação. E mais, consequentemente, irá ter impacto no bebé.
  5. OBSERVAÇÃO E TOQUE – Sem medos nem tabus! É importante conheceres a tua a vagina! É importante sentires e descobrires prazer. Observar as alterações e começar a tocar e estimular.
  6. CONHECER-SE NOVAMENTE – Dá tempo a ti própria e aprende a conhecer a pessoa que és nesse momento. Com todas as fragilidades. Sem controlo. Aceita que vão haver momentos em que não vai ser como queres – sem expectativas.
  7. LUBRIFICAÇÃO – O óleo de côco e a manteiga de karité são excelentes lubrificantes baratos e naturais. É importante que a vulva e vagina fiquem bem lubrificadas para que não haja dor.
  8. ALTERNATIVAS – É importante que explorem posições que sejam confortáveis. E a prática sexual não deve passar apenas pela penetração. A masturbação e sexo oral é válida. As carícias e abraços também; juntando os momentos a dois “só com presença”.
  9. PRELIMINARES – Os beijos, abraços, carícias são importantes antes de qualquer reinicio do ato sexual vaginal. Para dar mais excitação e prazer, fazendo com que o momento seja mais leve, calmo e tranquilo.
  10. EXERCÍCIOS DE KEGEL (ou pompoarismo) – Associados ao funcionamento da bexiga e dos intestinos, bem como às sensações vaginais durante o coito, promovem a cicatrização e previnem problemas ginecológicos. Envolvem contrair e soltar  a vagina e ajudam a fortalecer os músculos em torno da pélvis no período pós-parto e podem atenuar esse problema. O aumento do tónus muscular na vagina pode tornar o sexo mais prazeroso para as mulheres.

 

Criei uma apresentação de 84 páginas, muito completa e sucinta acerca da sexualidade na gravidez e no pós-parto. Caso tenhas interesse em explorar este tema, não hesites em enviar-me um email. Relembro-te: info@carinapalma.pt


Com Amor,

Carina

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Coloca o teu nome e o teu email para receberes o meu ebook grátis "Best of Robin Sharma"
Carina